conecte-se conosco


POLÍTICA MT

Audiência pública vai discutir o resgate do programa BID Pantanal

Redação

Publicados

em


.

Audiência pública virtual é proposta do deputado estadual Wilson Santos

Foto: Marcos Lopes

Uma audiência pública virtual, proposta pelo deputado estadual Wilson Santos (PSDB), vai debater a possibilidade de recuperar recursos do programa BID Pantanal, criado em 1995 e paralisado em 2003, que previa investimentos de US$ 400 milhões no Pantanal de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A audiência virtual será na próxima quarta-feira (30), às 15 horas, no Edifício Dante Martins de Oliveira, sede da Assembleia Legislativa, presencialmente, e pela plataforma Zoom para os convidados.

Segundo o deputado, mais de US$ 175 milhões do programa BID Pantanal ficaram a fundo perdido. “Nós tínhamos, a fundo perdido, mais de 175 milhões de dólares para saneamento básico dos municípios pantaneiros e para a capital, para educação ambiental e prevenção ao fogo no Pantanal. Tudo estava previsto no programa BID Pantanal”, diz o deputado, autor da convocação da audiência pública.

O BID Pantanal foi um programa com financiamento de US$ 400 milhões pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), governo japonês, governo federal e dos estados, com o objetivo de elaborar ações nas mais diversas áreas, como águas, solos, agrotóxicos, conservação da fauna, saneamento, economia, estradas, parques e reservas.

Leia Também:  Botelho recebe reivindicação da Fundação Abrigo Bom Jesus

O programa foi criado em 1995, durante o governo de Dante Martins de Oliveira (in memoriam), e foi amplamente debatido com a sociedade, de 1996 até 2001, quando foi interrompido por suspeitas no processo licitatório. Em 2003, o programa foi cortado pelo governo federal.

“Precisamos resgatar o BID Pantanal para apoiar esses municípios pantaneiros, que apesar de serem historicamente importantes e com uma população relevante, possuem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito baixo e limitado economicamente por estar em uma área de proteção com restrições ambientais, o que impede o desenvolvimento econômico”, destaca o deputado.

“Estou propondo uma discussão mais profunda sobre o tema. A ideia é discutir um novo programa. Quem sabe possamos recuperar um pedaço do BID Pantanal e salvar esses recursos”, destacou o parlamentar.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍTICA MT

Ulysses Moraes fiscaliza obra parada em Barra do Garças

Redação

Publicados

em

Por


Deputado Ulysses Moraes destinou quase R$ 1 milhão em emendas para a obra

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O deputado Ulysses Moraes (PSL) realizou, no último final de semana, uma fiscalização na obra do centro de convenções do município de Barra do Garças, que está paralisada. O parlamentar já havia feito uma fiscalização no local e destinado quase R$ 1 milhão das suas emendas parlamentares para conclusão dessa obra, mas o governador Mauro Mendes não efetivou o pagamento. 

“Essa situação é uma vergonha. Essa obra começou em 2014 e até agora nada de ser concluída. Até tivemos notícias de que seria retomada, mas fomos conferir de perto e não tem ninguém trabalhando por lá. Destinei quase R$ 1 milhão das minhas emendas para conclusão dessa obra, mas Mauro Mendes não pagou. Isso é uma vergonha” disse Moraes.

Orçado em mais de R$ 6 milhões, teria capacidade para 2,5 mil pessoas sentadas e 3 mil em pé, além de um auditório para 522 pessoas sentadas, em 3,4 mil metros quadrados de área construída.

Leia Também:  Água Boa recebe Comissão de Segurança Pública da ALMT nesta terça-feira (27)

“Esse centro de convenções seria de grande importância para o Vale do Araguaia, porque incentivaria a participação de vários eventos e movimentaria o turismo da região, mas infelizmente os gestores parecem que não estão preocupados com isso”, destacou o parlamentar. 

Ulysses Moraes destaca que irá fazer um requerimento de informações pedindo os detalhes do que está acontecendo com essa obra, que deveria ter sido concluída em 2017 e até o momento está sem conclusão e sem previsão. “Vamos pedir providências para essa obra e eles vão precisar nos responder, continuaremos cobrando, não dá para deixar mais uma obra parada em Mato Grosso”, finalizou o deputado.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

LEGISLATIVO

MATO GROSSO

POLICIAL

POLÍTICA MT

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA NACIONAL

MAIS LIDAS DA SEMANA