conecte-se conosco


CIDADES

Campo experimental de flores tropicais em Acorizal é referência no estado.

Página1

Publicados

em

Um hectare pode chegar a produzir 40 mil hastes de flor tropical, com investimento inicial de R$ 45 mil e rendimento que pode chegar a R$ 120 por ano.

Com um mercado ainda pouco explorado, mas com grande potencial, o plantio de flores tropicais pode ser uma opção de investimento. Essa possibilidade chamou atenção da ciência, que se alinhou com as perspectivas do mercado em Mato Grosso e já traz resultados importantes.

Métodos de plantio, logística, comércio e uma rede de conhecimento e produção torna este mercado cada vez mais estratégico e, com menor margem de perdas para o investidor.

Uma das pessoas que está a frente deste assunto é a Professora Celice Alexandre Silva que coordena o programa de extensão sobre floricultura da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), campus de Tangará da Serra.

O programa MT Horticultura [@mthoticultura] já existe há sete anos e também é voltado para pesquisar e auxiliar produtores rurais da agricultura familiar que se dedicam ao cultivo de hortaliças e frutas.

“Esse programa nasceu pela deficiência do Estado, que na maioria das vezes importa todos esses produtos. Então vimos que esse é um nicho de mercado que deveríamos explorar. Também temos essas produções na universidade, e promovemos dias de campo, feiras, trazemos o produtor para dentro da instituição ou vamos para dentro das suas propriedades tanto para estimular quanto para corrigir algumas falhas na produção”.

Celice explica que a universidade constatou que por semana chegam a Mato Grosso, três carretas de flores que vêm de São Paulo. Elas transportam flores como rosas e crisântemos, entre outras espécies de clima temperado.

Diante dessa constatação, a pesquisadora conta que o programa MT Horticultura passou a ter como objetivo capacitar os produtores rurais e produzir flores tropicais para abastecer o Estado e ainda exportar para outras unidades da Federação.

Leia Também:  NOBRES: Médico de 49 anos tem alta após quatro meses internado com Covid-19

“Nosso desejo é que as carretas que vêm cheias de flores de São Paulo, voltem para lá com nossas flores tropicais, porque eles não tem lá. Também queremos agregar renda para os produtores. Não falamos para eles: pare de plantar sua alface ou o limão. Pelo contrário, queremos é que além disso, possam também a plantar flores”.

Em breve, o MT Horticultura lançará um aplicativo que será uma plataforma que conectar os produtores de flores tropicais e os consumidores.

Extensão rural

Quem também se dedica à pesquisa de flores tropicais é a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), que possui um campo experimental em Acorizal (a 60 km de Cuiabá).

A pesquisadora da Empaer, Eliane Daltro, pesquisa novas espécies de flores tropicais e folhagens, e garante que este é um mercado de grande potencial dentro do Estado.

A opinião é compartilhada pela professora Celice, para quem Mato Grosso tem todas as condições para ser o maior produtor de flores tropicais do país, já que possui: terra, área, clima e mão de obra disponível.

Pesquisas

Dentre as espécies que estão sendo testadas tanto pela Unemat quanto pela Empaer, a maioria são variedades já cultivadas no Estado, como: Helicônias, Bastão do Imperador, Costus e Flor de Vidro.

Na Unemat, entre as espécies que estão sendo estudadas que ainda não possui plantio no Estado, está o Gladíolo.

Já a Empaer pesquisa a produção de Antúrio, que inclusive já está sendo plantado em Sinop e em Várzea Grande. Outra pesquisa, ainda inicial, é em torno das Astromélias.

Leia Também:  ROSÁRIO: Homem procurado, com mandado de prisão preventiva reage a abordagem policial e é baleado.

As pesquisadoras explicam que essa fase de pesquisa é de suma relevância, para que os produtores não façam investimentos errados e obtenham os melhores índices de produtividade.

Quanto custa plantar flores tropicais?

Celice explica que para plantar um hectare de flores tropicais o investimento inicial se situa em torno de R$ 45 mil. Esse valor leva em consideração um local que já exista o mínimo necessário para a agricultura familiar.

O retorno desse investimento será colhido dentro de dois anos e meio a três anos depois, e o faturamento pode chegar até R$ 120 mil por hectare/ano.

Quanto à produtividade, uma hectare de Helicônia Bihai rende até 40 mil hastes por ano, já a mesma área com Bastão do Imperador rende 39 mil hastes por ano.

Linha de crédito

O gerente regional de desenvolvimento da Sicredi, em Tangará da Serra, Lucyano Pizzatto de Moura, explica que é possível produtores de flores acessarem crédito por meio do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que é recurso subsidiado pelo Governo Federal.

Entre os diferenciais deste recurso está a taxa de juros de 2,5% ao ano, além de condições diferenciadas.

“Para Pronaf Investimento, o valor pode chegar até R$ 330 mil, sendo possível acessar a mais crédito com outras finalidades”, explica Lucyano.

O gerente explica que o prazo para pagamento de crédito para custeio pode chegar até dois anos, sem carência. Já o financiamento contratado para investimento pode ser pago em até 10 anos com carência de três anos.

Fonte: OLivre

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Prefeito Alex acompanha primeiras vacinações contra covid-19 em Rosário Oeste

Técnica de Enfermagem Perolina Stoffel foi a primeira a ser vacinada em Rosário Oeste

Página1

Publicados

em

Por

O Prefeito Alex Berto esteve acompanhando a entrega e as primeiras vacinações contra o novo coronavírus covid-19 em Rosário Oeste na manhã desta quarta-feira (20/01) na unidade de saúde PSF1.

Além do Prefeito Alex estiveram presentes também o Secretário Municipal de Saúde Anderson Rodrigo, o Vereador Carlos Cezar, o 1º Tenente PM Ishi, e os profissionais de saúde de Rosário Oeste.

A primeira pessoa a ser vacinada em Rosário Oeste foi a Técnica de Enfermagem Perolina Stoffel. Ela estava muito feliz por receber a vacina e disse que se emocionou ao receber a vacina.

Segundo informações da Enfermeira Fabiane Lourenço Magalhães, que é a responsável pelas vacinas, Rosário Oeste recebeu as vacinas na tarde do dia 19/01/2021, sendo que foram 96 doses que vieram para o município e serão destinadas aos profissionais de saúde, que são as pessoas que estão na ponta do enfrentamento contra o vírus no município. Esses profissionais foram escolhidos como grupo prioritário porque sem elas não seria possível lutar contra o vírus em Rosário Oeste.

Leia Também:  Policiais Militares e Agentes Sanitários fecham Bar em Rosário Oeste

O Prefeito de Rosário Oeste Alex Berto disse que a Campanha de vacinação vai durar o ano todo ou o tempo necessário para que possamos livrar o nosso município desse mal.

O Prefeito afirmou também que vai se empenhar o máximo possível para trazer a vacina a todos os munícipes de Rosário Oeste.

VEJA ABAIXO O VÍDEO E AS FOTOS DO LOCAL:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

CIDADES2 horas atrás

Prefeito Alex acompanha primeiras vacinações contra covid-19 em Rosário Oeste

Técnica de Enfermagem Perolina Stoffel foi a primeira a ser vacinada em Rosário Oeste

CIDADES9 horas atrás

ALTO PARAGUAI: MPMT cobra realização de inspeção para coibir venda ilegal de carne

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso notificou a Secretaria Municipal de Saúde de Alto Paraguai, município distante 199...

CIDADES9 horas atrás

PM registra roubo de gado em área rural de Nova Olimpia MT

A policia militar foi informada que nesta segunda-feira (18) por volta das 17 horas, oito indivíduos armados invadiram a fazenda...

CIDADES20 horas atrás

ROSÁRIO: Homem procurado, com mandado de prisão preventiva reage a abordagem policial e é baleado.

Mesmo atingido na região do abdômen, o foragido ainda conseguiu correr com um revólver na mão, mas caiu no corredor...

CIDADES1 dia atrás

Enfermeira fala sobre as vacinas contra o covid que virão para Rosário Oeste

A Enfermeira Jerusa Amaral, responsável pelo Centro de Covid de Rosário Oeste foi entrevistada pelo Radialista João de Deus na...

CIDADES1 dia atrás

NOBRES: Médico de 49 anos tem alta após quatro meses internado com Covid-19

Esmeraldo é médico em Nobres, a 151 km de Cuiabá, e trabalhava na linha de frente contra o coronavírus quando...

CIDADES1 dia atrás

Homem morto em Diamantino já havia sido preso antes em Lucas do Rio Verde

Homem havia sido preso em Lucas do Rio Verde em dezembro do ano passado

MATO GROSSO

POLICIAL

POLÍTICA MT

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA